Saturday, April 26, 2008

A VOZ


Aquela voz. Sim, eu a quero. Preciso dela. Somente a voz.

Sem passado. Sem presente e sem futuro. Sem a forma.

Apenas o som. Puro. Cristalino. Que role como uma esfera

líquida de água límpida da fonte oculta. Que ecoe.

Um som sem distâncias. Sem espaços. Melífluas sensações

soantes. Nunca dissonantes. A voz. Que venha a voz.

Otávio Coral

3 Comments:

Blogger Alessandra said...

A gente fica se perguntando , quantas vozes compõe sua voz poética? infinitas e que venha mais!
Até a forma do poema nos envolve, porque vêm repleto de silêncios, e silêncios que brotam entre as palavras, como uma composição musical atingindo o ser das gentes

4:21 AM  
Blogger Poemas e Cotidiano said...

A foto, combinando com as palavras, dao um "que" metalico na poesia... que se faz um grito mudo de uma voz ausente.
Muito lindo!
Bjs
MARY

4:08 PM  
Blogger Ellen Veloso Soares said...

Lindíssimo! Eu-lírico encantado pela voz que parece vir de longe, mas que está tão próxima dele: no coração.

12:37 PM  

Post a Comment

<< Home