Saturday, April 26, 2008

PROSA POÉTICA


Fluxo da consciência. Deixar-se ir nesta correnteza desconhecida, sendo levado por vozes alheias,
por ruídos insignificantes ou por um momento de silêncio conciso.

Assim surgem as palavras que sobrevivem boiando ao sabor do tempo contemporâneo.

Um hausto inspirador haverá de pescá-las e aí elas passarão a ter um sentido.

E em meio às sensações recém inauguradas toda uma nova dimensão será vislumbrada.


Otávio Coral

1 Comments:

Blogger Ellen Veloso Soares said...

Pesquei umas idéias aqui.. ali.. Observei que os textos do seu blog são diferentes (ao menos em parte.. até onde vi)dos publicados no Recanto das Letras. Nuances mais sensuais, mais filosóficas... fragmentos de um extenso ser!!

3:59 PM  

Post a Comment

<< Home