Saturday, January 28, 2012

VAGOS DESEJOS DA MADRUGADA


Eu quero da alma descoberta
O instante do deslumbramento
O átomo do momento criador

Quero a sensibilidade perene
O abstrato que fez concreto
Na infinidade de espantos

Não quero o mutismo anímico
Tampouco o silêncio insensível
Que se transforma em pesadelo

Quero retomar os fluidos absorvidos
As essências perfumadas do indelével
Os toques pressentidos do grande prazer

4 Comments:

Blogger Denise Matos said...

This comment has been removed by the author.

3:12 PM  
Blogger Denise Matos said...

IDEM!!! Perfeita, Otávio! Bjão!

3:12 PM  
Blogger regina ragazzi said...

Mais um belíssimo poema Otávio.
Que bom ter encontrado seu blog.
Abraços!!

2:21 PM  
Blogger Lilian Ferraz said...

Maravilhoso poema!Lirismo e muito refinamento no enredo.Bela obra poética!Abraços

7:58 AM  

Post a Comment

<< Home