Sunday, October 26, 2008

DESERTO


DESERTO


Porta fechada
Batidas estranhas
Perdem-se no eco
Da interior amplitude

Os raros batimentos
Não perceberão jamais
Que dentro não há recolhimento


Otávio Coral

1 Comments:

Blogger Helena C de Araujo said...

Às vezes os nossos espaços interiores são tão amplos que os pensamentos não conseguem aquietar-se e repousar... Perfeito, Poeta!

4:17 PM  

Post a Comment

<< Home