Monday, December 06, 2010

DESENCANTO


Uma grande lágrima rolou

Fragmentando-se em mil reflexos

Como uma flébil concha incolor

À espera de um recôndito sorriso

1 Comments:

Anonymous Anonymous said...

Quisera ser... Ombro que conforta nas horas de dor. Regaço que acolhe a tristeza. Mão que acaricia a face. Beijo que sara a mágoa. Abraço que acolhe solidão. Palavra que encoraja. Palavra que traz felicidade. Compreensão que perdoa. Coração que ama. Carinho e sorriso que enxugam lágrimas...
Aplauso para ti, Otávio! Grandiosos são teus versos: em rudes conchas fechadas cultivas pérolas! De rosas secas extrais suaves fragrâncias! Abraço, Ana Flor do Lácio.

8:37 PM  

Post a Comment

<< Home